terça-feira, 18 de dezembro de 2007

CONVITE

QUERIDOS AMIGOS...
O Rui, o Carlos e eu, temos a alegria de vos convidar para a nossa Ordenação Diaconal, que terá lugar dia 6 de Janeiro de 2008, na Catedral de Santa Maria da Graça, em Setúbal.
A Cerimónia será presidida po Sua Excelencia Reverendissima D. Gilberto Délio Canavarro dos Reis, Bispo de Setubal.
Mais informamos, que haverá uma Vigilia de Oração na mesma igreja, dia 4 de Janeiro pelas 21h30, que será animada pelo Grupo de Jovens do Renovamento Carismático de Setúbal e pelo Secretariado da Pastoral Juvenil de Setúbal.

A todos um Santo Natal, e na passagem do ano rezem especialmente por nós, que estaremos em retiro.
Abraço e beijos a todos.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

PEDIDO DE ORAÇÃO

Queridos amigos...
Já todos sabem das minhas vidas, e também sabem que "os tempos estão próximos". Por isso a todos, a cristãos e pagãos (e são tantos esses hereges,lol) que oreis por mim a Deus, para que seja um Santo Diácono, para que me deixe a cada dia conduzir pelo Amor, e que a minha entrega á Igreja de Deus seja plena.
Hoje dia 12 ás 19h será a Missa onde seremos (Carlos, Rui e eu) admitidos ás Ordens Sacras.
De 30 de Dezembro a 4 de Janeiro será o nosso Retiro de Ordenação (o local é sigiloso).
Dia 4 de Janeiro, pelas 21h30 será a Vigilia de Oração na Catedral de Setúbal.
Dia 6 de Janeiro, ás 16h, Ordenação Diaconal na Catedral de Setúbal.

Em todos, mas especialmente nestes momentos contamos com a vossa oração e a vossa presença fisica e/ou espiritual.
Abraço em Cristo.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Desafio... deixem-se desafiar.

Ora, quando não tiverem nada de melhor que fazer, tentem decifrar o enigma... As respostas devem ser enviadas para casih@iol.pt. Por cada linha acertada, não recebem absolutamente nada. Apenas este grande priveligio que é serem leitores absolutamente fantásticos, deste não menos fantástico blog...
O próximo post, receio bem que seja um convite... estejam atentos.
Assim reza a história:
3M D14 D3 V3R40,
3574V4 N4 PR414,
0853RV4ND0 DU45 CR14NC45
8R1NC4ND0 N4 4R314.
3L45 7R484LH4V4M MU170 C0N57RU1ND0
UM C4573L0 D3 4R314, C0M 70RR35,
P4554R3L45 3 P4554G3NS 1N73RN45.
QU4ND0 3574V4M QU453 4C484ND0,
V310 UM4 0ND4 3 D357RU1U 7UD0,
R3DU21ND0 0 C4573L0
4 UM M0N73 D3 4R314 3 35PUM4.
4CH31 QU3, D3P015 D3 74N70 35F0RC0 3 CU1D4D0,
45 CR14NC45 C41R14M N0 CH0R0,
C0RR3R4M P3L4 PR414, FUG1ND0 D4 4GU4,
R1ND0 D3 M405 D4D45 3 C0M3C4R4M
4 C0N57RU1R 0U7R0 C4573L0.
C0MPR33ND1 QU3 H4V14 4PR3ND1D0
UM4 GR4ND3 L1C40;
G4574M05 MU170 73MP0 D4 N0554 V1D4
C0N57RU1ND0 4LGUM4 C0154
3 M415 C3D0 0U M415 74RD3,
UM4 0ND4 P0D3R4 V1R 3 D357RU1R 7UD0
0 QU3 L3V4M05 74N70 73MP0 P4R4 C0N57RU1R.
M45 QU4ND0 1550 4C0N73C3R
50M3N73 4QU3L3 QU3 73M 45 M405 D3 4LGU3M
P4R4 53GUR4R, 53R4 C4P42 D3 50RR1R!
S0 0 QU3 P3RM4N3C3, 3 4 4M124D3, 0 4M0R 3 C4R1NH0.
0 R3570 3 F3170 D3 4R314.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Visita Ad limina

Carissimos amigos...
Os nossos Bispos (portugueses), acabaram de chegar de uma visita (que se intitula Ad Limina) ao Santo Padre Bento, viagem esta que se realiza de cinco em cinco anos. Esta visita serve grosso modo para colocar o papa a par do andamento da Igreja nas dioceses dos bispos que o visitam.
A proprósito deste acontecimento, é normal que o santo Padre faça uma comunicação, de carácter mais oficial, aos bispos no seu conjunto. Este discurso é conhecido de todos e é publicado (veja-se na Agência Ecclesia por exemplo) pelo que pode ser conhecido por todo o mundo.
É por tudo isto, que estranho quando oiço que "Papa deu nas orelhas aos Bispos"...
Agora pasmem-se vocês, que eu já li e reli o bendito do discurso vezes sem conta, e não vejo nem leio em lado nenhum, a tal "bronca".
Afinal broncos são estes comentadores, dos comentários televisivos, que coitados são tão ignorantes que não conseguem perceber o que é uma bronca. Então os jornalistas, dizem que o Papa criticou os Bispos e esta gente acredita. Mas antes de fazerem comentários, porque não vão ás fontes e lêm primeiro as noticias, já não por interposto comentário, mas como foi.
É óbvio que a quem ouvi tal coisa, dei logo a minha achega, mas gostava de vincar publicamente, que o Papa ou a Igreja quando tem de corrigir certas coisas, não o faz na praça pública. Se o Papa tivesse que tecer alguma consideração menos agradável, não seria numa comunicação, mas sim no encontro privado que teve com os bispos no seu todo e com cada um em particular.
À pois... afinal, se calhar nem sabiam que o Papa falou em privado com eles... é possivel. talvez tenham razão. E porventura nem sabem que essa parte sim não é publicada, pois só interessa, aos interessados, ora claro, imaginem o Pridente da republica a publicar as decisões do Conselho de Estado.
Sabem o que vos digo... quem mito fala uco acerta...
Na foto acima vejam o Bispo de setubal a ser recebido pelo Papa. As noticias relativas a setúbal, estão no site da Diocese www.diocese-setubal.pt/

terça-feira, 13 de novembro de 2007

o falatório...da autoridade

No caminhar dos novos dias, vamos ouvindo histórias, sabendo de vidas, entrando dentro dos problemas e dos corações de cada um, e se não nos tornamos indiferentes, então só podemos enchermo-nos de compaixão, por aqueles a quem Deus colocou no nosso caminho.
Na minha vida, não só agora de seminarista, mas já de antes, sempre devo ter tido cara de "confessor", porque sempre me vieram contar coisas deste e de outro mundo e até "casos do arco da velha".Sempre ouvi (pelo menos tentei) e fiz por me colocar "do outro lado", perceber e entender as razões "do outro". Afinal, quem sou eu para julgar? Durante a Licenciatura de Teologia e no Seminário, fui aprendendo que na Confissão "o sacerdote é dispensador da Misericórdia de Deus, é juiz mas acima de tudo é medico, e que ele não serve para condenar mas para salvar o pecador".Por tudo isto, choca-me quando ouço, vejo e sinto, que os olhares inquisitórios deste mundo, só acordam para condenar.Já a algum tempo que penso nisto. Por várias atitudes, aflige-me que almas supostamente bem domesticadas, no pseudo zelo pelos seus irmãos, comentam do alto da sua sabedoria bacoca as atitudes dos outros, como algo que molestam gravemente Deus. Pergunto eu: serão os actos, destes doutos santos, revistos todos os dias à luz das suas próprias exigências?
Certamente que não, pois se o fizessem, as suas atitudes seriam, porventura, muito mais santas e a primeira seria não criticar a vida dos outros...Impressiona-me que o sacerdote não condene mas antes admoeste, conduza, ou seja: penitenciar para salvar. Enquanto que o "leigo maravilha" acende o fogo da condenação para aqueles que já julgou e atirou para as masmorras do pecado... ele que é o exemplo da virtude.Para estes casos, só me apetece aplicar: "a humildade, é a minha maior virtude".
Como ninguém se reverá nas minhas palavras... este texto foi inutil... mais um... só mais um...

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Trabalho Português...no Parlamento Europeu.

Só falam mal dos nossos politicos... Para já estavamos em hora de descanso... Depois, quem manda falar tudo em ingles e frances, ora uma pessoa não se me percebe tudo... por outro lado que culpa tem o homem, que não deixem entrar videojogos no parlamento... uma pessoa se me tem de distrair né... ser deputado é dose... video

terça-feira, 6 de novembro de 2007

fish...amestrado

Com peixes destes... nem é preciso minhoca para pescar...
E, na frigideira, até se voltam do outro lado...
video
(obrigado Ana, por esta delicia...Lol)

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

O nosso mundo!

Estimados amigos...
Ainda a dias os cientistas anunciaram que estamos a chegar a um ponto sem retorno no nosso mundo... ainda que as teorias abundem sobre tudo e mais alguma coisa, neste ponto não há discussão, a poluição é mais que muita e os atentados naturais proliferam...
Para não pensarmos que a culpa é sempre dos outros, será bom rflectirmos sobre os nossos próprios comportamentos...
Afinal como me comporto eu...no "MEU MUNDO".
video

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Amigos

Um texto sobre amigos e amizade, que me mandou a minha amiga Jesus... Porque vale sempre "a pena" partilhar as coisas belas da literatura...

Vinicius de Moraes (1913-1980)

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
A amizade é um sentimento mais nobre do que o "amor", eis que permite que o objecto dela se divida em outros afectos, enquanto o "amor" tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.
E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências...
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.
Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar. Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.
Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure. E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.
Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo!
Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.
Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer...
Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!
A gente não faz amigos, reconhece-os.
Um grande abraço a todos os meus amigos...

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Novos Padres...

A Diocese de Setubal, no passado dia 7 de outubro, passou a contar com dois novos Presbiteros...
Parabéns aos Padres Estevão e David.

Ouvi dizer... e ó p'ra mim que não sou de intrigas, que a cerimónia correu muito bem. O Mestre de Cerimónias foi de um professionalismo tal, que até meteu impressão! Também os meus parabéns!
Já agora só para avisar... que as próximas Ordenações são dia 6 de Janeiro... adivinhem quem vai ser ordenado!

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Muitas das vezes andamos á procura de coisas fantásticas para mudar o mundo... Acabamos por nada fazer, porque no fim, acabamos por não encontrar nada extraordinário.
Se calhar muitas dessas vezes bastaria interessarmo-nos pelo outro... e participar numa qualquer campanha... Mas na maioria das vezes, nem uma grátis assinatura queremos fazer...
"Já agora, vale a pena pensar nisto!"

video

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

youtubiu

Para quem acha que tem problemas com o ingles...

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Ainda as férias...

Estimados contribuintes, leitores e assinantes.
Então para saberem por onde andei, para ter estado tanto tempo longe do Blog...então foi assim.
Primeiro as loucuras das espanhas né... onde visitamos pamplona em 35 minutos, nunca andei tão rápido... valeu os meus doutos conhecimentos da cidade.ó p'ra nós lindos naquele lindo Monastério de Leyre.
Depois ai vão eles para França!Lourdes... Obrigado Mário por insistires, foi muito bom voltar lá 10 anos depois.
E ai vão eles para Itália. Em itália, das toneladas de locais e monumentos... apaixonou-me Pompeia. O desenho de conhecer a cidade do Vesuvio era muito grande... eis o forum, de onde desfrutamos uma vista fantática do enorme vulcão.
Mas também foi muito bem passado o dia em Mondragone, principalmente a comer as fantásticas filhoses napolitanas da Dª Assunta...
Ó p'ra elas quentinhas...
Ai, que saudades...

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Salama.Salama!

Faz seis anos que acabou uma daquelas experiencias, que eu descrevi como "umas das melhores da minha vida, senão a melhor", que foi a missão em Moçambique! Seis anos volvidos, ainda não desvaneceram as marcas da pele, como diria Mafalda Veiga. Nem da pele, do coração e tampouco da alma, pois Moçambique entranhou-se em mim, bem como todos aqueles que lá foram missionários comigo e para mim.
Seis anos de partida, também completam a Rosa e a Sara... A Vitória voltou... e cinco para a Vera. Ainda hoje nos tratamos por "manos", porque é isso que somos, de facto e de direito, porque estar lá, foi como nascer de novo.
Permanece o sonho de la voltar... não para repetir o que fomos... Apenas para poder a voltar a ver os "sorrisos eternos", poder ouvir o coração dos tambores a ressoar nas paredes das matas,para embriagar-me de novo com o cheiro da terra vermelha.
Minha mamanhô, como hoje sei que é verdade quando me dizias: "quem bebe a água de um rio de Moçambique, não esquece mais esta terra"... Não se pode. não se consegue. Obrigado aos LBN, Missionários e Missionárias da Boa Nova, por tudo isto que ainda hoje vivo.
Obrigado manas Sara, Rosa, Vitória e Vera, pelo que me deram.
Noxukuro Moçambique.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Voltei...voltei...

Votei...voltei...voltei de lá...
Inda ontem tava de férias... e agora já tô caaaaaaaaaaa...
Estimados leitores, detratores, e afins...
voltei a este grande convivio que é o meu/nosso blog... havia quem pensasse que eu já não tinha inspiração... mas enganou-se redondamente! Estive apenas ocupado com umas férias fantásticas entre Portugal, Espanha e a bela Itália...
Disto tudo fica só umas imagens...para aguçar o apetite...Lol.

Assis... percorrendo as caminhos de S. Francisco... a paisagem fantástica.
Pisa... um dia inesquecivel...

E os seminas na basilica de S. Pedro...
Para a próxima há mais!

sábado, 28 de julho de 2007

Férias...

Carissimos. Até ao meu regresso, vou de férias!
Quando voltar...postes fresquinhos... com sabor Napolitano!
Ciao.

quarta-feira, 4 de julho de 2007

SSP Vida Selvagem - O Video!

Porque esta vida de seminário é uma aventura... resolvemos começar a dedicar-nos também á exploração da fauna seminaristica! Aproveitem e desfrutem! Ah... ás pessoas mais sensiveis avisamos que não devem ver o final, que é profundamente dramático!

domingo, 1 de julho de 2007

Os amigos...

Tenho a graça de contar na minha vida, com pessoas fantásticas, a quem tenho a alegria de poder chamar de amigos! E na chegada deste meu ano pelas terras de Espanha, lá estavam eles, á minha espera, com um almoço fantástico, num restaurante muito simpático! Um grande obrigado João, Andreia, Fernando, Irene, Rui, Ana e Margarida. Sois dons que noso senhor me concedeu!Bem... e a terça feira da caraculada está a chegar! Margarida, não te esqueças dos oregãos, e imensa paperica!!

sábado, 23 de junho de 2007

Ponte el Cinturón!

Ele em todos os paises...hà com cada maluco! Pois no Reino de Espanha, no Factor X, que é uma espécie de Idolos, apareceu a Silvia... e foi assim o seu casting:

Coisa linda! Mas a coisa não ficou por aqui, porque o público escolheu-a para ir a uma gala... já não sei de todos quem é o mais doido! Nasceu uma estrela!!

sexta-feira, 22 de junho de 2007

as igualdades das gentes...

Ele hà umas gentes por ai, que têm o dom de estragar o dia a qualquer emigrante-exilado de partida! Hoje fui com o meu amigo Javier, visitar Garinoain e Catalain, dois pueblos aqui de Navarra. pelo caminho o Javier lembrou-se de parar em casa de uma amiga... cujo nome me olvidei ad eternum, a bela da senhora lá começou a falar até que nos ofereceu um café... ao que eu, exigi solo... lá tive de ouvir uma homilia de meia hora sobre as eminentes causas prejudiciais do cafe solo e a coisa continuou para vergonha do Javier, arrependido da sua brilhante ideia, ao que eu o olhava tentando apazigua-lo. A coisa enveredou pelo caminho do "jovenzinho que vai ser padre... tadinho tão novinho de 23 aninhos não mais..." Ao que eu anui com cara sorridente-pardacenta e com o interior negro como bréu, ainda que eu não faça a mínima de que cor será o bréu! A conversa rola... e os padres deviam casar... ai eu engulo em seco e aperto, dolorosamente o joelho, calando uns palavrões napolitanos, que são os piores que conheço, mas que se aplicavam muito bem á cena! O que vale, é que o Javier não tendo mais buraco para se enfiar, deu por terminada a conferência a solo da senhora. Não sei o que lhe deu, confessa ele. O passeio continuou, em amena cavaqueira, esquecendo o episódio degradante das nossas vidas!
Que raiva que me dá, quando me querem impingir um casamento. As gentes, devem pensar que os seminas, tadinhos, são uns... que não... e por isso vão para padres! Conho!
Mas seu até nem me meto na vida de ninguém, porque teimam em se meter na minha!? É que é muito diferente dizer que a Igreja podia ter o casamento opcional para os padres, de "os padres deviam casar".
Eu por "opção própria" não quis casar.Ponto. Por "opção própria" fui para o seminário.Ponto. Aceitei as condições de querer ser padre.Ponto. As aspas, têm a ver com precisões de fé, que agora não vêm ao caso. Porque teimam, as gentes, em querer impingir-me um casamento!? Detesto este DEVIAM. Se há padres, que quiseram casar muito bem, saem do ofício e são maridos extraordinários. A questão do casamento é disciplinar, não é dogma, para já a Igreja decidiu assim e está decidido! Eu não posso fazer tudo o que me dá na veneta, esta é a condição humana. Não se pode ser, nem fazer muita coisa, só porque queremos, apetece ou desejamos. Esta é uma delas, é uma questão que compete à Igreja. Que cada um tenha lá a sua opinião pessoal, pois bem, agora que queiram me impingir a mim, manedjaketamole! Isto agora é a vontade do freguês queres ver! Ando com mulher para os que querem e deixo a gaja em casa para os que não querem! tô posssessso, com monte de ssssss...

quarta-feira, 20 de junho de 2007

Despedidas...

Vou arrumando papelada... passeando... fazendo despedidas. Hoje fui à faculdade dar alta da mesa da biblioteca... arrumar e entregar livros... tantos, nem me tinha dado conta! Despedi-me de professores, de colegas, de um ou outro funcionário que fiquei a conhecer... trocam-se palavras bonitas que nos engrandecem a alma. Passei uma última vez pelos anjos guardiães da luz... sempre gostei destes anjos. O chão continuava imaculado, como sempre o encontrei nos edifícios desta Universidade, às vezes até me dava raiva tanta limpeza! Cruzo o enorme campus, pelo caminho mais longo. Vou para correr o "autobus 4H"... Desisto e decido percorrer a Pio XII a pé. Vuelta del Castillo. Av. Baja Navarra. Carlos III e vou até o miradouro, deitar um último olhar pelos bairros da zona baixa da cidade.
Volto à residência... aqui ainda não é tempo de despedidas. Passo o tempo a organizar materiais... recolhendo roupa dispersa pela rouparia... esta quase na hora de ir! No coração cresce a tristeza de deixarmos os nossos companheiros de vida do último ano, e continuo a ouvir te echare de menos. As palavras fazem-nos sentir queridos, mas aumenta mais o desconsolo de uma partida, que é necessária, para que haja a alegria de reencontrar outros amigos, os de sempre, que nem 950km na distancia de um ano, chegaram para esquecer. Ate sempre. Ate já.

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Passam os dias...

Ora... ele há manias para tudo! Algumas das minhas doideiras, quando estou com o burro amarrado, é comprar, passear, gritar, bater em alguém... mas hoje deu-me paras as arrumações, que para quem está de partida é óptimo! Desato a remexer a papelada... nestes dias é óptimo este tipo de selecção objectiva, porque nada interessa... e vai dai, deixo-me de sentimentalismos... eis que, olho para trás e o resultado é este:
... mas ainda não acabou... já lá vão dois sacos... mas o burro também já está solto!
Mas que raio... porque é que tenho sempre a mania de juntar papelada? e porque é que junto sempre tanto livro? E bugigangas... que raio de feitio...

domingo, 17 de junho de 2007

Jony e Casi... dois seminas perto de si.

Jony
De que servem as palavras se a casa esta vazia...
Casi
Estas mesmo espiritual.
Jony
et nunc tibi loquar, cornute!
Casi
Santa Maria.
Jony
Vives ai com algum bispo
Casi
Não porque?
Jony
Porque Santo António disse isto a um Bispo
Isto quer dizer: agora falarei para ti oh mitrado/poderoso/cornudo
Casi
Pois já percebi. Santo António andava possesso.
Jony
Dizem que o bispo estava distraído
Casi
É mesmo coisa de tuga, sempre a mandar uma boa no tempo oportuno… nós de facto temos mau génio de nascença.
Casi
Então os exames que tal?
Jony
O de arte crista correu muito bem
Casi
Então tens queda para a arte…
Jony
Sim… bem tenho de ir estudar…
Casi
Também eu… tenho exame de românico na segunda.
Jony
Românico! Isso é fácil…
Casi
Ai sim, então diz-me as características da escultura do 1º românico francês?
Jony
Está-se mesmo a ver, românico vem de Roma.
Casi
Já estas a meter a pata na poça e ainda só escreveste uma linha!
Jony
Ora França se frança tem romanico, Napoleão Imperador de França, Napoleão era um grande escultor…
Casi
Já vi que sabes, vai em paz.
Jony
Eu só estudei, ate as catacumbas e sobre as catequeses baptismais
Jony
o Bom Pastor, o fenix e o orante, a ancora
Casi
O Bom Pastor que está ligado ao Moscóforo, da arte grega do sec.V a.C..
Casi
E estudaste o crismon e o o tetramorfos, não?
Jony
Os amorini
Casi
Os Barberini
Jony
Putini…
Casi
Raios tapartini
Jony
4 Estações
Jony
Esta tem nome de pizza
Casi
Não… isso é de Vivaldi.
Jony
Ou de Mozart?
Casi
Não. Pisa é do renascimento.
Jony
Alguma coisa a Tchaikovski?
Casi
Não! Mozart, não era alemão? e Tchaikovski é Russo?
Jony
Ai não… paleo cristão.
Casi
De Tchaikovsky tens o Lago dos Cisnes.
Jony
Afinal… não correu muito bem.
Casi
Também tem umas estações para piano de Tchaikovski … agora nas catacumbas, eu optava pela de Priscila…
Jony
Ainda tens as catacumbas de S. Sebastião
Casi
De S. Sebastião só conheço a Ermida ai abaixo.
Jony
É na 3ªmilha da Via Ápia.
Casi
Para a via Ápia? Apanhas o 16 que passa por S. Bento
Casi
Dai Bento XVI, que mora ao fim da Via Ápia.
Jony
16 não. Esse é para o Cais do Sodrê.
Casi
Cais do Sodrê? Isso cheira-me a sotaque brasileiro.
Jony
Não. Isso é na Colina do Vaticano.
Casi
Quem? O Cais Sodré, ou a Via Ápia?
Jony
Onde o Papa mora.
Casi
O Papa moro? Mas não era alemão?
Jony
Não sei se sabes, mas dizem que o S. Pedro foi ali enterrado?
Casi
Onde? Ali ou na Cova da Moura?
Jony
No Vaticano
Casi
Coitado! Vê o que acontece quem vai ao Vaticano.
Jony
Dizem que fizeram um basílica enorme.
Casi
Vai a o vaticano e acaba enterrado.
Jony
Coitadinho. Aposto que S. Pedro foi lá para ver o Papa e morreu.
Casi
Não. Acho tinha ido lá por causa das obras. Morreu de desgosto só pode. Não gostou das obras da Basílica!
Casi
Pois! Por falar em obras, tu vens dia 24.
Jony
A igreja e inaugurada nesse dia
Casi
Qual igreja? A Basilica? Aquilo já não esta aberta a uns anos?
Jony
A da Amora
Casi
Ja esta pronta?
Jony
Não. Mas não estou a ver o que é que uma coisa tem a ver com a outra.
Casi
Pois... Tradções estupidas...
Jony
Mas é a maior igreja da Diocese e a segunda maior do pais.
Casi
Sim…uma grande paróquia. Com vídeos no Youtube e tudo!
Jony
Por amor de Deus… Poupa-me a humilhações.
Casi
Não te preocupes. Toda a gente sabe que a Amora é da Diocese de Castrata.
Jony
Por via das dúvidas, eu sou da paróquia do Faralhão.
Casi
Sempre gostaste daquela paróquia.
Jony
Claro. Sempre esteve no meu coração
Casi
Vou à missa.
Jony
Eu vou estudar. Adeus.
Casi
Beijos á prima.

sábado, 16 de junho de 2007

Sinagoga Nacional do Império de Alá

Corriam os anos louco de 1993 a 1995 e qui ça anteriores e posteriores, e viam-se crescer as seitas por tudo quanto era sitio... vai dai, a bela trupe de amigos de sempre, também criaram uma de se nome Sinagoga Nacional do Império de Alá.

O Hino rezava assim:


deus alá
deus alá
eu vou acender uma vela
queres lilás, verde, vermelha ou amarela
deus alá eu vou acender uma vela...

Todos juntos...
Obrigado Ana por esta recordação...
(não sei porque, mas este site vai sofrer uma retaliação... está aqui e está na televisão...)

sexta-feira, 15 de junho de 2007

Momentos

O tempo passa... e estão quase a chegar ao fim os 9 meses de estudo... exigentes muito exigentes! A etapa final é a mais dificil... a mais desejada... a mais sofrida... a mais vivida!
Começo a recolher coisas, e à memória e ao coração vêm acontecimento, pessoas, histórias.
Levo recordações, muitas... não terei saudades dos guisantes nem das alcachofras. Levarei amigos... cá dentro onde só a amizade pode chegar.
Falta uma semana! Uma semana para ir gravando a letras e imagens de ouro, o que só Deus nos pode proporcionar! Em cada rua que passo, a cada amigo que vou vendo, penso: será que nos voltaremos a encontrar!?
Até ao fim há que aproveitar... e ainda não é desta que assisto aos Sanfirmines!



Momentos

Há momentos nossos
Dos outros,
Teus
De ninguém.
Há momentos de riso,
De choro, de canto,
De pranto,
De encanto.
Há momento de fugir
E de ficar…
Há momentos de ódio
E para amar.
Há momentos,
E não há…
Há outros…
Em que não sei o que fazer!

Casimiro

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Santo António de Lisboa, ofm

Nasceu em Lisboa a 15 de Agosto de 1195 e morreu em Pádua a 13 de Junho de 1231.
O seu nome de baptismo foi Fernando Martim de Bulhões e Tavera Azevedo, filho da fidalga D. Teresa Tavera, descendente de Fruela, rei das Astúrias e de seu marido Martinho ou Martins de Bulhões. D. Teresa nasceu em Castelo de Paiva e o marido numa terra próxima. Viviam em casa própria no bairro da Sé quando o recém-nascido veio a este mundo, no ano de 1145, embora alguns apontem como data de nascimento 1190 ou 1191.
Fernando frequentou a escola da Sé e até aos 15 anos viveu com os pais e com uma irmã de nome Maria.
Rumou a Coimbra, em 1211 quando contava com 16 anos, até ao mosteiro de Santa Cruz, onde tinha à sua disposição a melhor biblioteca monacal do País. Nesse tempo era a abadia de Cluny, em França, que possuía uma das maiores bibliotecas da Europa, com um total de 570 volumes manuscritos, porque ainda não tinha sido inventada a imprensa.
Aos 20 anos professou nos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho em Lisboa, no Mosteiro de São Vicente de Fora. Nesta ordem monástica prosseguirá os seus estudos teológicos.
O mundo cristão vivia intensamente a época das Cruzadas. A chamada «guerra santa» desencadeada contra o Islão. E da parte dos Muçulmanos dava-se a inversa, luta contra os cristãos. Ambos acreditavam que a fé os levaria à vitória. De Oriente a Ocidente os exércitos batalham, e neste turbilhão surgem novas formas de espiritualidade. Em 1209 Francisco de Assis (S. Francisco) abandona o conforto e luxo da casa paterna, para, com outros companheiros, se recolher numa pequena comunidade, dando origem a uma nova reflexão sobre a vivência do Evangelho. É a aproximação à Natureza, à vida simples e à redescoberta da dignidade da pobreza preconizada pelos primeiros cristãos. Em poucos anos, homens e mulheres, alguns ainda bem jovens e filhos de famílias abastadas e poderosas sentem-se atraídos por esta vida de despojamento e sacrifício, com os olhos postos no exemplo de Cristo. A Portugal também chegaram ecos deste novo misticismo.
Em Janeiro de 1220 são degolados em Marrocos, pelos muçulmanos, cindo frades menores (franciscanos) e todo o mundo cristão sofre um enorme abalado. A própria Clara de Assis (Santa Clara), praticamente da mesma idade que Santo António (nasceu em 1193 ou 1194) vai querer partir para Marrocos para converter os sarracenos, mas Francisco de Assis seu amigo de infância e seu orientador espiritual não lho permite.
Santo António, já ordenado padre, decide mudar de Ordem religiosa e também ele passa a envergar o hábito dos franciscanos. È nesta ocasião que muda o nome de baptismo de Fernando para António e vai viver com outros frades no ermitério de Santo Antão (ou António) dos Olivais, na altura um pouco afastado de Coimbra, nuns terrenos doados por D. Urraca, mulher do rei D. Afonso II.
Em meados de 1220 chegam, com grande pompa religiosa, ao convento de Santa Cruz de Coimbra, as relíquias dos mártires de Marrocos e esse acontecimento vai ser decisivo no rumo da vida de Santo António.
Parte para Marrocos, sentindo também ele que é chamado a participar na conversão dos chamados infiéis. Porém adoece gravemente e não podendo cumprir aquilo a que se propunha, teve de embarcar de regresso a Lisboa. Só que o barco é apanhado numa tempestade e o Santo vê o seu itinerário alterado ao sabor de uma vontade superior. Acaba por aportar à Sicília num período de grandes conflitos armados entre o Papa Gregório IX e o rei da Sicília, Frederico II. Relembra-se que várias regiões do que é hoje a Itália unificada eram reinos independentes e este ambiente de guerras geradoras de insegurança e perigos.
Em Maio de 1221 os franciscanos vão reunir-se no chamado Capítulo Geral da Ordem, onde Santo António está presente. No final os frades regressam às suas comunidades de Montepaolo, perto de Bolonha, onde, a par da vida contemplativa e de oração, cabe também tratarem das tarefas domésticas do convento. Aqui os outros frades reparam na grande modéstia daquele estrangeiro (Santo António) e jamais suspeitaram dos seus profundos conhecimentos teológicos. Findo aquele período de reflexão, como que um noviciado, os frades franciscanos são chamados à cidade de Forlì para serem ordenados e Santo António é escolhido para fazer a conferência espiritual. E começa a falar. Ninguém até ali percebera até que ponto ele era conhecedor das Escrituras e como a sua fé e os seus dotes oratórios eram invulgares.Pelo que se sabe quando começou a falar imediatamente cativou os outros frades e a sua vida seria a partir daquele dia de pragador da palavra de Cristo. Percorrerá diversas regiões da actual Itália, entre 1223 e 1225. Por sugestão do próprio São Francisco vai ser mestre de Teologia em Bolonha, Montpelier e Toulouse.
Quando S. Francisco morre, em 1226, Santo António vai viver para Pádua.
Aqui vai começar por fazer sermões dominicais, mas as suas palavras tão cheias de alegorias eram de tal modo acessíveis ao povo mais ou menos crente, que passam palavra e casa vez mais se junta gente nas igrejas para o ouvir. Da igreja passa para os adros para conter as multidões que não param de engrossar. Dos adros passa a falar em campo aberto e é escutado por mais de 30 mil pessoas. É um caso raro de popularidade.
A multidão segue-o e começa a fama de que faz milagres. Os rapazes de Pádua têm mesmo que fazer de guarda-costas do Santo português tal a multidão à sua volta. As mulheres tentam aproximar-se dele para cortarem uma pontinha do seu hábito de frade como uma relíquia.
Sentindo-se doente, o santo pediu que o levassem para Pádua onde queria morrer, mas foi na trajectória, num pequeno convento de Clarissas, a 13 de Julho de 1231 em Arcela, que Santo António partiu para a casa do Pai.
Depois, como é sabido, foi canonizado, em 1232, ainda se não completara um ano sobre a sua morte. Caso único na história da Igreja Católica. Já que nem São Francisco de Assis teve tal privilégio.
Os santos como Santo António, há muito que desceram dos altares para conviverem connosco, os simples mortais, que tomamos como nosso protector e amigo. O seu sumptuoso sepulcro, em mármore verde em Pádua, na igreja de Santo António é o tributo do povo que o amou e é muito mais do que um lugar de peregrinação e de oração. Através dos séculos, a sua fama espalhou-se por todos os continentes. No dia 13 de Junho de cada ano, Lisboa e Pádua comemoram igualmente a passagem por este mundo de um português que pregou a fé em Pádua e morreu em Arcela.
Como todos os santos é universal.

terça-feira, 12 de junho de 2007

Uma questão de cor...

Todos os dias, passam á nossa frente actitudes racistas, que matam, sem se dar por isso! Será que hoje, os homens ainda não perceberam, aque afinal a cor... é so uma questão de "ocasião".

segunda-feira, 11 de junho de 2007

Se... logo...

Problemas existenciais... que na era da tecnologica fazem todo o sentido!
Quem disse que a filosofia não pertencia ao reino informático!?

Obrigado Céu! Agora sempre estou para ver o teu comentário Luis.Lol
beijos á prima...

domingo, 10 de junho de 2007

Corpus Christi

Hoje, em muitas partes do mundo a Igreja celebra a Solenidade do Santissimo Corpo e Sangue de Jesus. Em Pamplona, depois da Missa houve a Procissão pela Cidade. De volta à Catedral, segundo uma secular tradição, houve o Baile de los Seises ante el Santissimo, uma dança executada por seis rapazes, que vestidos a rigor num traje palaciano de séc. XVIII, executaram as danças de inspiração medieval, numa atitude de profunda devoção e adoração ao santissimo solenemente exposto. Depois das palavras de despedida do Sr. Arcebispo, no pórtico da Catedral os Danzantes de San Lorenzo, encerraram os festejos, com um reportório cheio de movimento, que "enfeitiçou" o público.
Hoje com mais razão do que nunca faço minhas as palavras desta lindissima Oração de Santo Inãcio:

Anima Christi
(Alma de Cristo)

Alma de Cristo, santificai-me.
Corpo de Cristo, salvai-me.
Sangue de Cristo, inebriai-me.
Água do lado de Cristo, lavai-me.
Paixão de Cristo, confortai-me.
Ó bom Jesus, ouvi-me.
Dentro das Vossas chagas, escondei-me.
Não permitais que eu me separe de Vós.
Do inimigo maligno defendei-me.
Na hora da minha morte, chamai-me,
E mandai-me ir para Vós,
Para que Vos louve com os Vossos Santos,
Pelos séculos dos séculos.
Amen.


Santo Inácio de Loyola

Deixo-me Desafiar!

Deixo-me desafiar… mergulho dentro do tempo e do espaço e tento arrancar alguma coisa a corte de foice… outras menos exigentes

Eu quero: acreditar sempre no Amor.
Eu tenho: uma Alegria imensa de estar a caminho.
Eu acho: que o Homem foge de si mesmo.
Eu odeio: a hipocrisia.
Eu sinto: a presença de Deus em Ti.
Eu escuto: o Vento.
Eu cheiro: ainda a terra de África.
Eu procuro: a Fé.
Eu arrependo-me: do que ainda não tive tempo de fazer.
Eu amo: a Paz.
Eu sinto dor: quando sou traído.
Eu sinto a falta: por vezes de Gritar.
Eu importo-me: em não ferir o Outro.
Eu sempre: quero Ver.
Eu não fico: quieto.
Eu acredito: só em Deus.
Eu danço: só em sonhos!
Eu canto: muitas vezes… desde o levantar ao deitar. Ainda que não tenha muito talento!
Eu choro: muitas vezes: de alegria e de sofrimento!
Eu falho: muitas vezes.
Eu luto: pela Verdade
Eu escrevo: muito. Mesmo Muito.
Eu ganho: Tudo. Quando que me entrego.
Eu perco: Nada. Ganho semprealguma coisa.
Eu nunca: quero falhar, mas acabo por errar muitas vezes.
Eu confundo-me: com os movimentos artísticos do séc. XIX e do séc. XX. Lol
Eu estou: quase a sair daqui, graças a Deus.
Eu fico feliz: com os sorrisos dos meus sobrinhos.
Eu tenho esperança: de levar a paz e alegria ás pessoas que me rodeiam.
Eu preciso: sempre de Amigos á minha volta!
Eu deveria: ser mais Paciente.
Eu sou: umas vezes melhor que outras.
Eu não gosto: da falsidade.

Acho que é suposto desafiar seis pessoas. Que tarefa ingrata. Lol. Pois que sejam:
As vezes escrever uma definição… é mais difícil que um discurso

sábado, 9 de junho de 2007

As Viagens de Noe...

Ninguém disse que a vida era fácil... e o pobre do Noé, apanhado desprevenido, mesmo contra vontade, lá teve de juntar a bicharada na arca e partir para a aventura... A verdade, é que o Noé se deve ter enganado nas medidas, é que houve uns que ficaram mesmo de fora...Dizem as más linguas que as queixas de falta de espaço continuaram principalmente os da Classe Turistica.
Isto como tudo teve os sus dias... havia aqueles em que andava de vento em popa...

E outros andava a passo de Caracol, que como todas as criaturas, também teve o seu lugar na arca... Segundo a imprensa cor de rosa da altura... Noé, foi mesmo o Primeiro Pai Natal.
Foi numa destas longas noites de inverno que o Coelho se excedeu... e a seguir la veio a rebucada do Noé...O Pica-Pau sentido-se traido pela Pica-Paua, entrou num ataque de esterismo suicida! Foi o primeiro acto terrorista da História! Mas ainda assim o momento mesmo critico da viagem, deu-se quando a estupida da Galinha apanhou uma gripe!! Coisa rara e perigosa.
Acabada a chuva e acalmados os animos, já que o Coelho foi mesmo esfolado na Páscoa... o pessoal entrou em vacaciones... A desgraçada da Pomba, foi a unica a ter que fazer pela vida! Ainda hoje há quem a procure!
Por fim... até houve um retrato de familia... em que se deu os parabens a todos... inclusive ao Pica Pau, recuperado e casado em segundas núpcias com a galinha, já que o galo se tinha marchado numa noite fatidica de Dezembro!

sexta-feira, 8 de junho de 2007

Ser poeta, ou não o ser.

Um dos meus gostos pessoais é a poesia. Ler, meditar e escrever poesia, é como transformar-me em palavras, e conhecer-me melhor do que me conheço. Não sei se para a escrita o talento é muito grande… mas isso também pouco importa! Este gosto que já vem de alguns anos a esta parte, e foi crescendo aqui neste ano de “exílio” em Navarra, onde a poesia foi tantas vezes esse refúgio e lugar de encontro entre mim e Deus.
Nas minhas aulas de Teoria das Artes, falamos longamente da obra de Talkien e com ele aprendi que o mito não é produzir contos extraordinários, o mito é antes fazer com que o impossível seja de facto verosímil, ou seja, seja perfeitamente real. Eu acho que a poesia, é o reino do mito, onde desconcertadamente “tudo o que não é possível” passa a ser completamente verdadeiro. Acho que a poesia é a realização do mito por excelência.
A uns tempos atrás, foi-me pedido um poema e eu escrevi-o. Aconteceu algo de que já não falo, pois está sanado no meu coração, ainda que deixasse marcas profundas, inolvidáveis. Porque como diz o Dr. Santiago Hernández, “a poesia é esse lugar, onde o poeta pode deitar mão de tudo, e transforma o assombroso em possível. A poesia é esse canto do mundo em que um homem transforma o que “não pode ser” em si mesmo, e então o que não era ganhou vida”. Meio mundo não entende estas palavras, e transforma as palavras do poeta, que eram então o seu ser, em linguagem comum. Mas as palavras de um poeta não são usuais, pois elas são a capacidade de traduzir essa “fome e sede de Infinito de um poeta”. Mas, se a letra mata o Espírito vivifica. As palavras de um poeta, só se percebem quando nos deixamos penetrar pelo espírito, porque o poeta é artista em fazer esconder as verdadeiras palavras atrás de nuvens de letras. Há que saber sair da pobreza de um Eu, e deixar-se guiar pelo espírito, para alcançar esse “Reino de aquém e de além dor” do qual não há mapas a decifrar.
Mas já disse a nossa grandíssima poetisa Florbela Espanca que “ser Poeta é ser mais Alto, é ser maior do que os Homens”, por isso, acho que os poetas nunca serão totalmente compreendidos. Eu não sou poeta. Não sou capaz de aí chegar. Tenho o coração carregado de amarras que não me deixam ganhar as necessárias “asas e garras de Condor”. Quero corta-las, ainda que alguns teimem em atá-las. Voltarei a desfazer os nós e tentar chegar a esse reino lá longe, onde só um poeta pode ter “manhãs de ouro e de cetim”, onde pode “condensar o mundo num grito” e até, escrever em “cinzas de cristal”.
O Caminho Solitário dos Poetas...

quinta-feira, 7 de junho de 2007

Para animar o dia...

Como eu sempre digo... as "gajas" quando querem... são terriveis!

quarta-feira, 6 de junho de 2007

As visões do Ministro...

Eu de facto... ficava preocupado como o senhor Ministro, já que segundo a Cartografia Oficial do Concelho de Ministros apresenta situações graves nos pais principalmente Al Sul:
Isto de uma pessoa ser um homem de visão tem os seus inconveniente... como não se preopcupar, quando se olha e só se vê isto, a partir de Al Cântara: Logo á saida da Ponte sobre o Tejo, a situação de excepção dos territorios desérticos do sul do país, começam a apresentar as suas particularidades, tanto que, o Ministro teve de pedir á Direcção Geral de Viação, para introduzir sinalética de trânsito, num regime de excepção, própria para estes territórios de Al Tagus:Ali na zona do cruzamento de Pegões, o problema é sempre o mesmo... não admira que o Senhor Ministro veja com maus olhos a instação do Aeroporto nesta zona, pois só iria complicar esta situação já de si catastrófica! Isto é o que se vê diariamente o Ministro em Al Pegum:
Convenhamos que com tanto problema de trânsito, muito bem fez o senhor ministro em abrir as linhas de metro a sul do tejo... uma obra fantástica... já que fazer um metro com tanta areia é muiro mais complicado do que fazer sobre água, como aconteceu no Terreiro do Paço... digam lá que o nosso ministro não é, um ministro Al Maneira!
Facilmente se identifica da direita para a esquerda: Al-Pinho, Al Kalino, Al Lino, Al Sócretino.

Bem...mas a região de Al Em Tejo, nunca se sentiu longe do seu Ministro preferido, já que ele aí este presente em todos os momentos... Obrigado Senhor Al Ministro, como dizemos no deserto da margem Sul.
Aviso aos amigos Al Nómadas: Este Bolog será encerrado pelo Ministério das Obras Públicas ou da Educação em alguns dias... Obrigado.

Azeitão terá Novo Pároco

Anuncia-se a todos os senhores leitores, incluvise aquele que nada têm a ver com isto... que o Reverendissimo Senhor Bispo de Setúbal, D. Gilberto Délio Canavarro dos Reis, nomeou o Reverendo Pe. Luís Miguel Matos Ferreira como Pároco das Paróquias de S.Simão e de S. Lourenço de Azeitão.
A Tomada de Posse será dia 1 de Julho pelas 10h na igreja de S.Simão, em Vila Fresca de Azeitão e na igreja de S. Lourenço, em Vila Nogueira de Azeitão, no mesmo dia pelas 11.30.


Ora muitos parabéns Padre Luis... continuarei a rezar por ti.

Rev. Pe Luis Ferreira.

terça-feira, 5 de junho de 2007

As tristes noticias...

Amigo… quero dizer-te que sai do Seminário...
Acho que esta é uma das frases mais tristes, que ouvi na minha vida.
Quando entramos no seminário, abre-se uma nova História dentro de nós. É como se nascêssemos de novo. Ganhamos uma nova família, com a qual passamos a viver 24 horas por dia.
É quase um Big Brother, sem câmaras.
Vivemos momentos alegres, tristes e alguns de profunda dor. Mas toda esta História, que se desenrola á volta do seminário, une-nos, transforma-nos… Nunca mais voltaremos a ser os mesmos.
A dada altura, percebemos que os nossos companheiros de caminho, são mais do que companheiros, passam a ser irmãos, já são fazer parte de nós. Acho que é difícil perceber a profundidade destas palavras. Por isso, quando hoje vi escrito no ecrã do computador: Amigo… quero dizer-te que sai do Seminário, é como se o “meu” mundo se transformasse num único segundo. A tristeza invade-me sem pedir permissão e o ânimo esvai-se entre os segundos, como se nunca estivesse estado aqui! Tal como se sentisse a partida de um irmão, as lágrimas dançam nos olhos, fazendo com que estas teclas ganhem uma quarta, quinta, sexta, e não sei quantas dimensões.
A amizade permanecerá… mas qui ça, a dor da partida permaneça também.
É a terceira vez, que passo pelo mesmo, a primeira saída, ainda permanece viva como no momento em que aconteceu.
Continuarás sempre no meu coração Pakisi. Tenho uma profunda tristeza de não ter estado contigo este ano, de não ter vivido a teu lado, as amarguras da saída.
Sei contudo, que Deus se nos faz passar por isto, é porque na Sua Infinita Sabedoria, sabe que é o melhor.
Continuarás no meu coração e na minha oração. E não te esqueças, lá longe, naquele continente lindo que é Africa, onde eu fui tão feliz, que tens aqui… para sempre… um irmão! Obrigado pelo tanto que me deste, perdoa-me pelo nada que retribui.
Pakisi

segunda-feira, 4 de junho de 2007

O deserto do Sul do Tejo, na arte...

Lá vou eu bater outra vez nesta tecla gasta... mas a poesia vale o sacrificio.

Para os amantes da poética nacional, aqui vão uns versos de fino recorte literário...

Olhando para Lisboa ali tão perto
Lá no alto, de cabelos ao vento
Cristo-Rei foi pregar para o Deserto
Mas deixou os camelos em S. Bento

quinta-feira, 31 de maio de 2007

“Turma D: Uma peripécia do 10º ao 12º ano”

“Hoje um colega caiu na aula, depois de se balançar na cadeira”, foi um comentário que despoletou uma série de gargalhadas na mesa… e eu lembrei-me imediatamente dos meus fantásticos anos do 10º ao 12º ano. Mesmo assim, não me veio á ideia comentar isto no Blog. Porém, num momento de tédio, no meio do estudo da arte bizantina, foi ao Blog da minha amiga Karvela, onde ela conta uma história nossa….
Foi ai, que um turbilhão de memórias me assaltou de novo, e comecei a ligar as coisas… tinha de dedicar um “post” ao meu glorioso 12ºD…
“As peripécias do D – Uma turma do 10 ao 12º ano”
Do 10º ano ao 12º fomos formando um grupo de amigos, com os vivemos tantas e tantas histórias, que agora á distancia de 10 anos nos fazem rir vigorosamente quando as recordamos.
A Sandra uma vez baloiçava-se animadamente, nas pernas traseiras da sua cadeira, quando de repente… catrapuz… a professora aflita interrogava-se sobre o que se tinha passado, nós riamos desalmadamente e ainda mais, quando a Sandra desabafa serenamente: “oh…cai!”
A Clara conta no Blog, o episódio da minha infeliz ideia de um dia dizer: “ a primeira pessoa que passar por aqui é transsexual”, a sorte calhou á Zézinha, que á conta do seu mau feitio não granjeava grandes simpatias… O passo seguinte foi espalhar pela escola inteira o boato. Á conta disto a Clara ainda teve chatices, e nós rimos a bom rir, com a brincadeira… A Clara é que passou pela ideóloga do boato e a Zézinha tirando satisfações com ela diz-lhe: "andas a dizer que tenho dois sexos… pois tenho, é o meu o do meu namorado!", ao que a Clara responde desconcertada "Mas isso não é ser transsexual...!”… eu não assisti á cena, mas depois contaram-me. Desculpa Zezinha, éramos uns teenagers inconscientes…
Mas ó Zezinha, convenhamos que a do Camus… Andávamos nós nos passos da Filosofia, quando ouvimos falar desse filosofo francês Camus (Albert), ao que comentou uma colega: “ó pressora, Camus é o Camões em Francês não é?”… foi até doer a barriga.
Havia dias, em que nos metíamos com os transeuntes. Numa dessas ocasiões decidimos pergunta as horas a toda a gente que passava, até que perguntando a um miúdo recebemos a resposta “não sei… o meu relógio é de brincar”. Depois de uma gargalhada geral, sempre que nos perguntavam as horas dizíamos: ”não sei, é de brincar”… só nós!
No 10º ano, tivemos uma professora de português detestável a que apelidamos de “diabo vermelho”, devido á sua ominipresente gabardine vermelha. Nesse ano o avo (se bem me lembro) da Sandra morreu e na aula de português, como é natural ela ainda chorava. Nesse dia levava eu uma t’shirt azul e estava sentado atrás dela. A bendita da professora resolveu meter-se com a rapariga: “Oh Sandra, mas porque é que está a chorar?”, ao que a Sandra tratou de explicar que estava triste, sem entrar em pormenores, e a professora insistia, ao que ela respondeu “é que eu sou muito transparente” e a professora contra-ataca “oh, pois és, até vejo um ponto azul atrás de si, será o Casimiro? Foi um riso surdo… mas a “piada infeliz” serviu para um ataque feroz á professora.
Um desses "ataques" veio pelas mãos de quem menos esperavamos, a Isabel, que era uma paz de alma. A dita professora mandou-nos fazer uns trabalhos de grupo que versavam sobre a gramática, a uns calhou os verbos, a outros os substantivos e por ai fora... Ora, a Isabel tinha ficado com os substantivos, mas no dia da apresentação a professora teimava que o trabalho dela eram os verbos. Num rarissimo ataque de fúria, a Isabel levanta-se e diz aos gritos: "eu já disse que o meu grupo é dos substantivos e a professora não me chama mentirosa". Conhecendo o feitio da Isabel a professora atónita e aflita pedia-lhe calma e nós passado os segundos de completa parelesia desatamos a rir. A Isabel virou a bandeira de luta contra o "diabo vermelho".
Alguns de nós tinham Latim e outros Alemão. No início do 12º ano, a professora Aurora resolveu testar os nossos conhecimentos de Latim. Nisto pergunta: “Clara, quantas declinações há no latim?”, depois de um momento de esforço de memória ela responde “várias”, e arranca uma profunda gargalhada de todos nós, que no que toca a rir, nunca nos fazíamos de rogados.
Uma das minhas histórias preferidas, é a da aula de português! Comentávamos nós a poesia do nosso grande Camões, ao que a professora inquiriu: “Olga, quais são os sentimentos do poeta neste poema? Fruto de uma profunda reflexão, a Olga responde num explendoroso alcochetano “os sentimentos do poeta neste poema, são de uma gande testeza”. Bem… só visto!
A professora Alice, de português, resolveu levar-nos a Lisboa, para percorrer os paços das personagens dos Maias. Infelizmente, depois de várias tentativas não entramos no ramalhete. Naqueles tempos, a ponte Vasco da Gama era uma miragem, pela que a volta se deu pela 25 de Abril. A Anabela, que vinha sentada no lado que dá para Belém, quando passamos por cima do ramalhete grita: “Olha o ramalhete” e nós todos saltamos dos nossos lugares e encavalitamo-nos todos naquele lado. Nisto o autocarro guina, o condutor o Sr. Francisco grita: “não se ponham todos num lado do autocarro, a direcção é hidráulica…” e nós zumba, todos para o outro lado… depois de uma repreensão continuamos a rir… ai Ramalhete.
Já nem conto as histórias dos feitiços, nem das nossas greves, a criação da Sinagoga Nacional do Império de Alá, o Ranheve 3 em 1, Trabalhos de Francês, etc…
Olhem… se me equivoquei em alguma história corrijam-me gente. Foi muito bom ter-vos como companheiros de turma. Agora é óptimo ter-vos como amigos, são quase todos uns pagãos de primeira, mas seres humanos excelentes! Obrigado por aqueles 3 anos magníficos.
Escola D. Manuel I de Alcochete. Foto Câmara Municipal de Alcochete: http://http://www.cm-alcochete.pt/motor/includes/ver_imagem.asp?imagem=/motor/imagens/destaques/conteudo_62.jpg&desc=Escola D. Manuel I

terça-feira, 29 de maio de 2007

A Margem Sul e o Ministro

Ora, o nosso Ministro das obras públicas meteu-se com a Margem Sul. Coitado, acredito que se soubesse o que sabe hoje, nunca o teria feito.
Mas diz o ministro que afinal “não foi isso que disse”, referindo que não chamou deserto á Margem Sul. Hum…

Defende-se o ministro:
«As pessoas quando não têm argumentos deturpam a realidade. Estávamos a discutir as localizações do aeroporto. Sei muito bem que Almada, Montijo, Setúbal têm gente… Estava a referir-me a Rio Frio, Poceirão e Faias, localizações alternativas do novo aeroporto na Margem Sul que, são «vagamente povoadas».
Toda a gente percebeu o que eu quis dizer. O deserto era a zona de implantação do aeroporto, não me estava a referir ao Norte do Alentejo na sua generalidade».

Agência Lusa a 23 de Maio de 2007

As palavras do Ministro encaixam bem naquilo a que eu chamo «caracterização do bom português», que são aqueles que têm de falar de TUDO, opinar sobre QUALQUER assunto mesmo que não saiba NADA daquilo de que se fala.
Mas este nosso Ministro estudou o quê, para saber tanto da Margem Sul?
Segundo a Página Web do Governo, o Engenheiro Mário Lino é Licenciado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior Técnico (1965) e
Mestre em Hidrologia e Gestão dos Recursos Hídricos pela Universidade do Estado do Colorado (USA) (1972).
E agora percebo está explicado! O senhor Ministro está marcado pelas paisagens nevadas do Colorado, assim que qualquer extenção de terra sem um monte de neve ou sem um prédio lhe pareça um deserto. É claro que as zonas que o senhor Ministro se refere não povoadas, como Lisboa ou outros centros urbanos, até porque as ditas regiões, que fazem parte dos concelhos de Alcochete, Montijo e Palmela, são em grande parte abrangidas por reservas agrícolas, onde se cultivam muitas dos produtos que se come e bebe em Lisboa!

Mas até onde chega o (des)conhecimento do Ministro destas regiões?
Viajemos e verifiquemos:


Canha é uma freguesia do concelho do Montijo, com 207,73 km² de área e 1 907 habitantes (2001).
Canha teve foral dado por D. Afonso Henriques em 1172. Existe também o foral de 1235, dado por D. Sancho II, e o foral-novo, de D. Manuel I, concedido em 10 de Fevereiro de 1516. Foi vila e sede de concelho entre 1172 e 1836, sendo então integrado no município de
Montemor-o-Novo. Recuperou a categoria de concelho durante um curto período em 1838, sendo então integrado definitivamente no actual município.


Santo Isidro de Pegões é uma freguesia do concelho do Montijo
, com 55,33 km² de área e 1 454 habitantes (2001).
A sede da freguesia localiza-se em Pegões Velhos. As terras de Pegões foram povoadas em meados do século XX por casais vindos de outras parte do país, através do maior projecto de colonização interna realizado no território de Portugal continental.
A vinha foi uma das culturas desenvolvidas pelos colonos agrícolas. A Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, constituída em 1958, está na origem dos vinhos de Pegões, os quais têm sido premiados tanto a nível nacional como internacional.

Pegões – Cruzamento é uma freguesia do concelho do Montijo, com 28,09 de área e 2 104 habitantes (2001).
O território hoje pertencente à Freguesia de Pegões, foi desanexado da actual Freguesia de Canha, sede de concelho, até ao ano de 1838, e fez parte, desde 1186, dos domínios da Ordem de Santiago.
Pegões foi desde tempos remotos, local de passagem de viajantes e mercadorias entre Lisboa e o Alentejo, e mesmo Espanha, através do Montijo.
Por aqui passava a via romana, aproveitada, em parte, para a construção, na Idade Média, da que viria a ser conhecida por Estrada Real, que ligava Aldeia Galega a Vendas Novas.
Através da Estrada Real, atravessando Pegões-Cruzamento, passava a chamada mala-posta, primeiro serviço regular de transporte de passageiros e carga, para além de correio, entre Montijo e Badajoz, instituído em 1533, que se manteve em funcionamento até à inauguração da linha férrea de Leste (entre Barreiro e a fronteira espanhola, passando por Vendas Novas), verificada em 1863.
A partir dessa data, instalado que foi o apeadeiro de Pegões-Gare, a Freguesia de Pegões assume, progressivamente, um papel relevante no escoamento de produtos agrícolas e no transporte de passageiros, entre Lisboa e o Alentejo.


Poceirão é uma freguesia do concelho de Palmela, com 147,07 km² de área e 4 304 habitantes (2001). O Poceirão e a Marateca, sendo zonas rurais, são por isso consequentemente menos povoadas, não chegando a possuir 15% da população do Concelho. Tal fenómeno deve-se em parte a ocuparem uma posição central da Península de Setúbal, entre três das mais importantes áreas protegidas nacionais – o Parque Natural da Arrábida (PNA), a Reserva Natural do Estuário do Sado (RNES) e a Reserva Natural do Estuário do Tejo (RNET) –, os dois estuários e a serra, abrangendo zonas do PNA e da RNES, localização que não permite em grande medida, o crescimento populacional ao nível de outras zonas do país.


Rio Frio é a denominação de uma propriedade que em 1892 atingia 6000 hectares de vinha, que se estendiam desde Pinhal Novo até Poceirão. José Maria dos Santos era então dono de toda esta área e foi ele quem converteu uma charneca sem nenhuma cultura específica na que era considerada, para a altura, a maior vinha do mundo. Em 1904, conseguiu-se uma cultura de 16.500.000 litros de vinho, empregando-se três mil trabalhadores.
José Maria dos Santos mandou plantar naquela zona a que era na altura considerada como a maior vinha do Mundo. Mas não era só o vinho; também a cortiça e os cavalos faziam parte das actividades que ligam este local a outro tempo.
António Santos Jorge mandou construir o
Palacete de Rio Frio em 1909, em terreno herdado do tio José Maria dos Santos, um dos maiores latifundiários do final do século XIX e início do século XX.
Hoje este palacete está dirigido ao Turismo Rural, os hóspedes têm fácil acesso a Lisboa, através dos barcos do Montijo que fazem a travessia em apenas 30 minutos, ou através da nova ponte Vasco da Gama.

Chegados a este ponto, fica-me a duvida: será que a ignorância do senhor ministro se deve ao seu desconhecimento do Poceirão, Faias (Pegões) e Rio Frio ou é por não saber o que é um deserto!?
Bem, como este texto, mutatis mutantis, lhe foi enviado através do portal oficial do governo, fico á espera das suas respostas.

Para rematar: sorte é não ser professor, senão também já estava na rua!

Palácio de Rio Frio... isto será o oásis do deserto do Ministro. http://www.portugalweb.net/palmela/freguesias/pinhalnovo/palacriofrio2.jpg

segunda-feira, 28 de maio de 2007

O pintainho...

Estas atitudes machistas...

http://www.rebelvirals.com/13875298.html

Mas a menina também já estava a irritar né! Mas não está certo o que o gajo fez, vingar-se no pobre do bisalho*!

*Bisalho Subs. Mas., filho menor de galo e galinha. Nomenclatura usada na região Autónoma da Madeira para designar "pintainho".

sábado, 26 de maio de 2007

Aniversário Prelado de Setúbal

Hoje (27 de Maio) dia de Pentecostes, é também dia do aniversário do Bispo de Setúbal, Sua Excelência Reverendissima D. Gilberto Reis... Para as respectivas felicitações visitar o portal: www.diocese-setubal.pt.
É dia de dar graças pelo Bispo que Deus colocou na sua Igreja que está em Setúbal.
Parabéns D. Gilberto, que Deus o proteja e guie.

sexta-feira, 25 de maio de 2007

Graduação...

Acabou á pouco! Está fresquinho!
Eram quase 17h em Espanha, quando nós começamos a descer para o Oratório da Faculdade de Direito da Universidade de Navarra.
Algumas caras conhecidas, outras nem tanto, e outras que nunca tinha visto.
As 17h a Missa, presidida por um padre tailandes.
Acabada a Eucaristia, fomos lentamente em amena cavaqueira para o Edificio Central. Chegaram as 18h e os convidados e alunos entraram na Aula Magna da Universidade. Depois tomaram os lugares os alunos do Bridge Year, seguidamente os alunos do Bachelor of Arts e por último os de Master of Arts.
E lá foram ditas as palavras da praxe, depois o representante de alunos também discursou e por último a Directora do Instituto de Artes.
E ai... os alunos (uma mistura entre espanhois, americanos do norte e do sul, tailandeses, e 1 portugues) recebemos os nossos Diplomas e a Beca.
E já está... o beberete encerrou a sessão.

Uma cerimonia muito interessante...

As "insignias": o Diploma e a Beca.

Mais uma etapa na vida de um estudante... as próximas serão na vida de Semina, mais importantes e mais exigentes...

quinta-feira, 24 de maio de 2007

Provérbios Reconvertidos Para Nova Ordem Social

Os provérbios tradicionais já não são o que eram ...



Quem ri por último ... é de compreensão lenta !!!


Os últimos são sempre... desclassificados !!!


Quem o feio ama... tem que ir ao oculista !!!


Deitar cedo e cedo erguer... dá muito sono !!!


Filho de peixe... é tão feio como o pai !!!


Quem não arrisca ... não se lixa !!!


O pior cego ... é o que não quer cão nem bengala !!!


Quem dá aos pobres ... fica mais teso !!!


Há males que vêm ... e ficam !!!


Gato escaldado ... geralmente está morto !!!


Mais vale tarde ... que muito mais tarde !!!


Cada macaco ... com a sua macaca !!!


Águas passadas ... já passaram !!!


Depois da tempestade ... vem a gripe !!!


Vale mais um pássaro na mão ... que uma cagadela na cabeça !!!

Quando não tiveres estacionamento... faz como no Porto!

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Ascensão

Ora, este Domingo (20 de Maio) foi o dia da Solenidade da Ascensão do Senhor.
Para os que não sabem, Ascensão é a subida de Jesus ao Céu depois da Ressurreição.
Pois bem, segundo os nossos repórteres de local, a Ascensão no Alentejo foi assim:

Que me desculpem os mais sensiveis... e alentejanos.Lol

sábado, 19 de maio de 2007

As Piores Anedotas da História

Estimados amigos!
Já sei que que a esta altura, os meus amigos pagãos, reivindicam uns "post's"! Em vossa homenagem, uma compilação das piores anedotas da história, que por acaso me mandou um historiador! tem graça!
Aqui vão! São mesmo deprimentes, preparem-se!
5...4...3...2...1...0

- Dois litros de leite atravessaram a rua e foram atropelados.
Um morreu, o outro não, porquê?
Por que um deles era Longa Vida. (aaaaiiiii, tristeza!)


- Porque é que o elefante não pega fogo ?
Porque ele já é cinza. (sem comentários)


- O que é que a galinha foi fazer na igreja ?
Assistir à Missa do Galo. (estou estúpido de facto)


- Como é que as enzimas se reproduzem ?
Fica uma enzima da outra.... (valha-me são Cucufate)


- O Batman pegou no seu bat-sapato social e no seu bat-blazer.
Onde ele foi ?
A um Bat-zado. (ddaaaaaaaaaaahh)


- Como é que o o Batman faz para que abram a bat-caverna ?
Ele bat-palma. (tirem-me daqui!!)


- Como se faz uma omelete de chocolate ?
Com ovos de Páscoa ! (e com o coelho? coelho com amendoas?)


- Por que é que na Argentina as Vacas vivem a olhar para o céu ?
Porque tem "Boi nos Ares" ! ( esta ganha a todas!)


- Para que servem óculos verdes ?
Para verde perto! (ai santo Deus)


- Para que servem óculos vermelhos ?
Para vermelhor! (Ggrrrrrrrrrrrr)


- Por que a mulher do Hulk se divorciou dele?
Porque ela queria um homem mais maduro! (pois... humm, humm)


- Já conheces a piada do fotógrafo ?
Ainda não foi revelada. (bem... estou... maravilhado)


- Como se diz top-less em chinês ?
Xem-chu-tian. (iiiiiixxxxxxxxxxxx)


- Sabes qual a diferença entre uma lagoa e uma padaria ?
Na lagoa há sapinho, e na padaria "assa pão". (nãããããããão!!!)


- O que é que um cromossoma diz para o outro ?
Cromossomos bonitos ! (estou!brigada de homidios?)

sexta-feira, 18 de maio de 2007

Jesus nas ruas...

Estas maravilhas das novas tecnologias, fazem-nos dar a volta ao mundo, qui ça, em bem menos de 80 dias. Julio Verne acharia isto uma gozada como se diz aqui em Espanha.

A todos aqueles empenhados na Nova Evangelização, vejam estes dois videos, vale bem a pena:

God in the Streets of New York City

Youth 2000 New York

Na casa onde estou a residir, tenho um companheiro norte-americano. Fartamo-nos de rir, quando ele diz que as loucuras mais incriveis, só acontecem nos Estados Unidos.
Gostava eu que esta "loucura" fosse importada.
Para todos aqueles cuja fé, é elemento determinante na sua vida, estes videos são uma óptima lição de vida. Não basta fecharmo-nos no nosso casulo. Ha que ir à luta e mostrar este rosto visivel de Jesus.
Mas... acreditamos mesmo que Jesus, está presente na Eucaristia? Em Mim? No irmão?
Se assim fosse, de certo que me emprenhava mais na construção da paz á nossa volta.
A paz, nasce de um coração generoso. Até onde vai a minha generosidade?
Gostava eu que esta "loucura" fosse importada, para mostrar a todos o rosto visivel de Jesus presente em mim, em ti e na Sagrada Hóstia.
Paz e bem, como dizia o nosso S. Francisco de Assis
Tela pertencente á igreja de Vale de Figueira.