segunda-feira, 29 de setembro de 2008

ser pároco

Desde ontem que me juntei a uma multidão de padres por esse mundo fora, que tem a seu cuidado um povo específico. Uma porção de povo, dentro da própria porção da Igreja Local, que é uma Diocese.
A mim cabe-me cuidar e velar, por essa multidão, que habita na paróquia de Nª Sr.ª da Graça de Corroios. Uma Paróquia jovem, com duas comunidades, uma em Corroios e uma em Santa Marta. Duas faces de uma mesma moeda, que se completam, que se unem neste amor ao Senhor.
Dou por mim a pensar, no que poderá um jovem padre oferecer a uma paróquia deste tamanho, com a história que a constrói, nada. Certamente nada. E é nessa medida, que me coloco nas mãos de Deus, para que Ele faça tudo, e de tudo o que Corroios precisa.
Começo a perceber cada vez melhor as palavras de São João: "é preciso que cresça, e eu diminua (Jo3,30)".

4 comentários:

Edu disse...

ComPadre,
Estás numa grande paróquia, mas essa paróquia também tem muito a ganhar contigo!
Como dizia o meu antigo pároco, que sejas como um bom GPS para levar a tua paróquia pelo bom caminho até ao céu.
(eu também fiquei atónito quando ouvi estas palavras, mas no fundo no fundo... é o choque tecnológico!)
Que Deus estejas sempre com Deus (sim, porque Ele de certeza que estará sempre contigo)

AnokasCris disse...

Tens muito para dar à tua nova Paróquia!!!

Acredito no Senhor e sei que Ele sabe muito bem o que faz... Se te colocou aqui em Corroios é porque tens algo para nos ensinar, oferecer, dar... A nós só nos resta acolher-te de braços abertos e rezar pelo nosso Paráco:)

Que o Senhor te ilumine nesta tua nova etapa...

Bjinhos da tua paroquiana!!!

Nheca disse...

Querido Pd. Casimiro,
Apesar de não termos podido participar na Eucaristia de tomada de posse (sim, fomos literalmente expulsos da Igreja pela paroquiana que organizava as entradas - quem nos mandou chegar tarde, para variar?), as nossas orações pessoais voltaram-se para o momento e para mais esta fase da tua vida. Ser GPS é difícil, às vezes falta a bateria, tem de ser carregada; outras vezes o software/conhecimentos fica(m)desactualizado(s) perante os vários caminhos que vão sendo contruídos paralelamente aos já existentes, há que fazer actualizações, etc... Podíamos, de facto, continuar com a parábola e apresentar mais metáforas.... A verdade/certeza é que a missão vai ser dura, mas muito bem cumprida! Deus de facto não brinca em serviço e sabe muito bem o que faz!
Um grande beijo da sécia da amora....

Um pouco mais de azul e era Céu... disse...

"Precisamos de Santos sem véu ou batina.
Precisamos de Santos de calças jeans e ténis.
Precisamos de Santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos.
Precisamos de Santos que coloquem Deus em primeiro lugar, mas que se “lascam” na faculdade.
Precisamos de Santos que tenham tempo todo dia para rezar e que saibam namorar na pureza e castidade, ou que consagrem sua castidade.
Precisamos de Santos modernos, santos do século XXI, com uma espiritualidade inserida no nosso tempo.
Precisamos de Santos comprometidos com os pobres e as necessárias mudanças sociais.
Precisamos de Santos que se santifiquem no mundo, que não tenham medo de viver no mundo.
Precisamos de Santos que bebam Coca-Cola e comam hot-dog, que usem jeans, que sejam internautas, que escutem discman.
Precisamos de Santos que amem apaixonadamente a Eucaristia e que não tenham vergonha de tomar um refrigerante, beber uma cervejinha ou comer uma pizza no fim-de-semana com os amigos.
Precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, de música, de dança, de desporto.
Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros.
Precisamos de Santos que estejam no mundo; e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não sejam mundanos.”

(João Paulo II)
Mas Casih., também precisamos dos que vestem batina.
PS. Não te esqueças de trazer a tua para dia 29 de Outubro...
Profceu